Vila Itaperuna em Barra de São Francisco recebe Enivaldo e Magno Malta

0

O prefeito de verdade Enivaldo dos Anjos anunciou na noite deste sábado (4), em Vila Itaperuna, que vai localizar e adquirir uma área maior do que onde está instalado hoje o Polo Industrial para que possa atrair novas indústrias para Barra de São Francisco e criar 5 mil novos empregos só na área da indústria do mármore e granito nos próximos 10 anos.

“Hoje, 400 carretas trafegam carregando os blocos durante nove horas para Cachoeiro. As indústrias de lá estão loucas para virem para cá, para ficarem próximas à fonte de sua matéria prima. Vamos criar o Pólo Industrial II, com toda essa infraestrutura para atrair essas empresas, da mesma forma que fizemos há 20 anos, quando comprei 63 alqueires de terra para o município, dando origem ao pólo industrial e a três novos bairros: Vila Luciene, Vila Vicente e Nova Barra na área da Vaquejada”, disse Enivaldo.

Enivaldo disse que quer ser prefeito para que as crianças tenham uma boa referência da maior autoridade do município e não porque queria “mais um emprego”, mas para ajudar a cidade a voltar ao caminho do desenvolvimento. Ele prevê uma grande explosão econômica de Barra de São Francisco em sua administração e aproveitou para cobrar contrapartida das duas maiores empresas que exploram granito em Vila Itaperuna.

“É um absurdo que essa estrada não esteja asfaltada e essas ruas calçadas. O que tem aqui fui eu que fiz. Há 22 anos, Itaperuna tinha três grandes desafios: a ponte do rio São Mateus, a falta de comunicação e o alto índice de doenças por falta de água tratada. Enfrentamos os três: construímos a ponte, o posto telefônico e colocamos água de graça nas casas. Agora, vamos voltar para fazer mais: asfaltar a rodovia de acesso, uma boa escola e comprar um terreno na vila para possibilitar a construção de casas aos seus moradores”, anunciou.

Segundo Enivaldo, com sua eleição, mais de 50% dos investimentos municipais serão feitos no interior e vai cobrar das empresas que exploram granito na região que também dêem a contrapartida aos impactos de sua atividade.

Por: José Caldas da Costa – fotos GazetadoNorte

COMPARTILHE