MAX FILHO cogita entrar na disputa pelo governo

0
O prefeito de Vila Velha, Max Filho (à procura de um partido), e a senadora Rose de Freitas (MDB), já candidatos declarados ao governo do Estado, juntos com o ex-governador Renato Casagrande (PSB) e o deputado estadual Sergio Majeski (de saída do PSDB). Essa é a linha de frente da oposição ao governador Paulo Hartung na disputa eleitoral de 2018.
O quarteto foi formalizado na noite dessa quarta-feira (28), com o anúncio do prefeito de Vila Velha, Max Filho, de que será candidato ao governo do Estado. Ele tomou a decisão, que já era dada como certa no mercado político há dias, depois de se reunir com correligionários e apoiadores, entre eles seu pai, o ex-governador Max Mauro, inspirador da iniciativa.
Max Filho tem conversado com o deputado estadual Sergio Majeski, o único que faz oposição ao governo na Assembleia Legislativa e que pode ser candidato ao Senado, visando a formação de um bloco de oposição capaz de enfrentar o governador.
Majeski adota uma posição de enfrentamento a Hartung, exercendo uma oposição firme a responsável, como ocorreu nessa terça-feira (27), durante prestação de contas o governo na Assembleia Legislativa.
Os dois, Max e Majeski, estão sem espaço no PSDB, partido que tem na presidência o vice-governador César Colnago e é alvo de investidas do governador Paulo Hartung para exercer o controle.
Os conflitos se agravaram com a intromissão do governo na eleição da presidência  da sigla, quando foi filiado o secretário de Agricultura, Octaciano Neto, provável candidato à Câmara Federal, e mantido Colnago no comando, derrotando o prefeito de Vila Velha, que também concorria à Presidência.
A partir desse embate, o PSDB foi definhando no Estado, culminando com a saída do ex-prefeito de Vitória, Luiz Paulo Vellozo Lucas, e a formação do grupo “PSDB Autêntico”, liderado por Max Filho.
Com a saída de Max Filho da prefeitura, em abril, assumirá o posto o vice Jorge Carreta (PSDB), aliado de confiança do prefeito, que, assim, mantem sua influência sobre a máquina administrativa do município.
Já no MDB, mesmo partido do governador, a senador Rose de Freitas enfrenta há tempos uma batalha por espaço, o que a levou a buscar outra sigla, que pode ser o Podemos, do senador  Álvaro Dias, controlado no Estado pelo prefeito de Viana, Gilson Daniel. Rose não admite recuar do projeto de buscar o Palácio Anchieta na disputa deste ano.
O ex-governador Renato Casagrande entra no grupo para disputar a eleição de 2018 ao governo ou ao Senado, mas segundo os bastidores políticos, ele não se importaria de abandonar a ideia de tentar o retorno ao governo, unindo-se a Max Filho.
Fonte: SeculoDiário
COMPARTILHE